Fevereiro Roxo reforça a importância do diagnóstico precoce das doenças de Alzheimer, fibromialgia e lúpus para se conseguir oferecer melhor qualidade de vida aos pacientes. Desta maneira queremos alertas sobre essas três doenças e de algum modo oferecer conforto para estas pessoas.

           A doença de Alzheimer é caracterizada como uma doença neurológica degenerativa, progressiva e irreversível que deteriora progressivamente o nível cognitivo do indivíduo, e mais tarde o funcionamento de todo o seu organismo (ALMEIDA, GOMES E NASCIMENTO, 2014; AZEVEDO et al., 2010). 

Os principais sinais e sintomas do Alzheimer são:

  • falta de memória para acontecimentos recentes;
  • perda de memória recente;
  • dificuldade para encontrar palavras;
  • desorientação no tempo e no espaço;
  • dificuldade para tomar decisões;
  • perda de iniciativa e de motivação;
  • sinais de depressão;
  • agressividade;
  • redução do interesse por atividades e passatempos.

            O objetivo da fisioterapia é retardar a progressão da doença, melhorando a qualidade de vida. O fisioterapeuta pode atuar na fase inicial da doença com o objetivo de retardar o avançar da doença e manter a autonomia do doente por um maior período de tempo. Já na fase avançada, muitas vezes o paciente se encontra acamado. Sendo assim, é necessário que o fisioterapeuta evite a atrofia muscular, mantenha a amplitude de movimento das articulações e evite o surgimento de lesões por pressão. Muitas vezes o paciente permanece acamado por períodos prolongados e isso contribui significativamente para exacerbar o desenvolvimento de lesões. A falta de cuidados com a prevenção, monitoramento e tratamento das lesões por pressão complicam o estado do doente, deixando-o mais debilitado, portanto, sujeito a alterações negativas na recuperação de sua doença, aumentando os custos e tempo de internação.

            A utilização do laser de baixa intensidade no tratamento de lesões cutâneas contribui para a otimização do processo de cicatrização devido a ação bioestimulante. Andrade, Clark e Ferreira (2014) destacam que a laserterapia de baixa intensidade, aplicada sobre lesões cutâneas, é capaz de promover como principais efeitos fisiológicos: resposta antiinflamatória; angiogênese; proliferação epitelial e de fibroblastos; síntese e disposição de colágeno e contração da lesão.

         Os avanços tecnológicos dos últimos anos, relacionado aos tratamentos com laser, ocupam lugar de destaque. Neste sentido, o uso do laser como fator acelerador no processo de cicatrização torna-se importante, especialmente pela relevância do aprimoramento científico e desenvolvimento tecnológico na área da saúde, com a finalidade de contribuir para a eficiência da assistência nas fases de cicatrização tecidual e engajar possibilidade facilitadoras desta prática (ANDRADE, CLARK E FERREIRA, 2014; MENDES E TRAJANO, 2019).

            O Recover da MMO é um laser de baixa intensidade para utilização em procedimentos fisioterápicos. Atua com grande eficiência em patologias agudas e crônicas, além do tratamento em lesões da pele. O uso do Recover no tratamento de lesões por pressão em pacientes acamados oferece resultados rápidos e surpreendentes.

Referências Bibliográficas:

ANDRADE, F.S.S.D., CLARK, R.M.O., FERREIRA, M.L. Efeitos da laserterapia de baixa potência na cicatrização de feridas cutâneas. Rev. Col. Bras. Cir., v. 41, n. 2, p. 129-133, 2014.

MENDES, J.P.M., TRAJANO, E.T.L. Os efeitos da laserterapia de baixa potência na cicatrização de lesões por pressão. Revista PróUniverSUS. 2019 Jan./Jun; 10 (1): 106- 109.

ALMEIDA, M.C., GOMES, C.M., NASCIMENTO, L.F. (2014). Spatial distribution of deaths due to Alzheimer’s disease in the state of São Paulo, Brazil. São Paulo Medical Journal, 132, 199-204. doi: 10.1590/1516-3180.2014.1324610.

AZEVEDO, P.G., LANDIM, M.E., FÁVERO, G.P., CHIAPPETTA, A.L.M.L. (2010). Linguagem e memória na Doença de Alzheimer em fase moderada. Revista CEFAC12, 393-399. doi:10.1590/S1516-18462010005000001.