Blog


Em levantamento apresentado recentemente através da designada Biblioteca Digital de Produção Intelectual (BDPI) da USP, uma plataforma que simplifica o acesso à produção intelectual dos pesquisadores da Universidade de São Paulo, constata-se que o Instituto de Física de São Carlos (IFSC/USP) é uma das unidades uspianas com maior destaque na produção científica, mesmo sendo aquela que apresenta, comparativamente às outras, um número menor de docentes e pesquisadores.

O empenho dos pesquisadores do IFSC/USP sempre teve duas vertentes ao longo dos anos e que foram se aprimorando com o decorrer do tempo: a primeira, num contexto puramente científico, sempre ombreou com o que de melhor se faz no exterior, motivo pelo qual foram aumentando as inúmeras colaborações com cientistas e universidades de ponta espalhadas pelo mundo, comprovando assim a excelência de nosso Instituto. A segunda vertente é o trabalho que vem sendo feito para resolver alguns dos problemas que mais afligem a sociedade, principalmente aqueles relacionados com a saúde e o bem-estar público.

Nos laboratórios do IFSC/USP são projetados, desenvolvidos e disponibilizados à população, de forma gratuita e com a colaboração de médicos e restante pessoal técnico, protocolos, procedimentos clínicos e equipamentos que, de forma inovadora, apresentam soluções para detecção e tratamento dos mais variados tipos de doenças, entre os quais se contam diversos tipos de câncer, problemas odontológicos, fibromialgia, osteoartrose e osteoartrite, onicomicose, úlceras venosas e de pé de diabético, colo de útero e HPV, só para mencionar alguns.

Se é um orgulho verificar através da BDPI que o Instituto de Física de São Carlos é uma jóia no contexto da Universidade de São Paulo, também não é menos verdade que essa excelência acarreta responsabilidades cada vez maiores, não no contexto de um simples ranking, mas na missão que o Instituto abraçou desde sua criação, que é se colocar ao serviço da sociedade, devolvendo a ela, com serviços e instrumentos gratuitos, o investimento público feito pelos contribuintes.

A BDPI reune quase 925 mil registros, incluindo a produção científica, acadêmica, artística e técnica de pesquisadores, mais as teses e dissertações defendidas desde 1985 na maior universidade da América Latina, sendo que esses números são atualizados diariamente, à medida que os bibliotecários cadastram novos documentos.
Contudo, no caso específico do IFSC/USP, observem-se abaixo os índices coletados, num trabalho executado pelas bibliotecárias do IFSC/USP – Maria Helena Di Francisco e Gracielli Batista Pepe Cardoso, ambas da Seção de Tratamento de Informação.

 

 Produção científica Unidades USPfotodef1 900 1

 

O gráfico apresenta os dados das 18 unidades com o maior número de produção científica geral (produção científica e teses/dissertações) da Universidade, disponíveis na BDPI, onde o IFSC aparece em 10° lugar, com 27.788 registros. Quando analisamos somente a produção científica per capita dessas mesmas unidades no banco Thycho, o IFSC aparece com o maior número de produção por docente.

Produção científica geral Departamentos USP

fotodef2 900

Ranking de autores com maior número de publicações gerais na BDPI

foto5 440

Ranking de autores USP com maior de número de publicações gerais na BDPI

 

foto6 400

 

Produção científica geral Unidades USP – Citações  recebidas

 

foto7 900

 

O IFSC está bem classificado em relação às citações recebidas, tanto através do CrossRef (3° lugar) quanto na Dimensions (4° lugar).

Fonte: https://www2.ifsc.usp.br/portal-ifsc/ifsc-e-uma-das-unidades-da-usp-com-maior-producao-cientifica/