Blog


 shutterstock 481178416
 
 
Conhecer a pele e suas variações é muito importante quando se trata de tratamentos estéticos funcionais.
Com o crescimento da tecnologia, e cada vez mais os procedimentos minimamente invasivos e mais agressivos em alta, se faz necessário aumentar nosso nível de conhecimento quanto aos tipos de pele e suas variações com relação aos efeitos colaterais de tais técnicas.
Existem diferenças importantes a se levar em consideração de acordo com tipo de pele no contexto: da perda de água transepidérmica (TEWL), conteúdo de água (WC) [por meio da condutância, capacitância, resistência e impedância], reatividade dos vasos sanguíneos, gradiente de pH, função sebácea, morfologia e distribuição dos melanossomas e resistência a lesão. Essas diferenças são influenciadas muitas vezes por vários grupos étnicos.
De acordo com um Artigo publicado ( British Journal of Dermatology · Novembro de 1998 - Fonte: PubMed), foi constado que peles negras tem maior incidência de perda da água que peles brancas, assim como também ocorre uma diferença no nível de pH, além disso alguns estudos mostram que a TEWL em peles asiáticas podem ser iguais a dos negros e maiores que a dos caucasianos.
Bem, uma outra situação que merece atenção é quanto a produção de melanina que é diferente dependendo do tipo de pele. Sabemos hoje que a base de Fitzpatrick, nos direciona quanto ao fototipo de pele, deixando claro os ricos com pigmentação inflamatória em fototipos mais altos. Porém a miscigenação racial, hoje comum entre as nações, também leva a características hereditárias em pessoas de peles fototipos mais baixo, incidirem em pigmentação inflamatória. Van Nieuwport et al, demonstraram que, com aumento da melanogênese, os melanossomas da pele clara não apresentam alteração superficial significativa, mas os melanossomas da pele escura apresentam aumento de superfície e volume.
Os dados objetivos nos estudos sobre diferenças étnicas nas propriedades da pele não apenas enfatizam o valor da investigação dos processos de doenças, assim como as diferentes respostas aos tratamentos estéticos conforme a etnia da pele, levando em consideração que existes variáveis fisiológicas envolvidas.
Portanto é fundamental a analise diferenciada da pele, na tomada de decisão quanto a escolha do melhor caminho a se tomar para as soluções inestéticas da pele. Sempre precisamos levar em consideração além do tipo de pele também sua condição e suporte para reparo tecidual. Isso com certeza irá amenizar os riscos de intercorrências, levando a um tratamento estético mais seguro e eficaz.
 

sandra costa

Sandra Costa
Esteticista Especialista em Cosmetologia e Marketing.
Profª da Pos Graduação em Estética. Ministrante de Cursos de Atualização em Estética Facial e Corporal.
Consultora Técnica MMO Equipamentos.